AVATAR

Publicado janeiro 9, 2010 por abrileri
Categorias: Entretenimento, Filme

AVATAR

Não poderia deixar de fazer um post sobre um filme que é realmente um marco na história da indústria cinematográfica.

Mas deixa eu contar como tudo começou…

Eu ouvi falar deste filme no fim do ano passado mas eu não tinha a menor idéia do que se tratava. Ouvia dizer que era um filme revolucionário, etc… mas não sabia nada sobre a história, as técnicas utilizadas, nada.

No entanto, logo após a estréia um amigo viu e me disse:
– Marcelo, você precisa ver este filme o quanto antes.
– Por quê? Do que se trata? Qual é a história? Quem são aqueles homens azuis?

E ele me disse:
– Marcelo eu não vou te contar nada, você precisa assistir. Só vou te dizer uma coisa, eu comprei um saquinho de pipoca e uma Coca-cola e entrei no cinema. Sentei e o filme começou. Eu grudei na tela! Uma mão ficou parada no saquinho de pipoca e a outra na Coca-cola até o fim do filme, eu não consegui comer a pipoca e nem tomar a Coca. Foram quase 3:00 horas que eu não vi passar, ao contrário, eu não desgrudei da tela. Eu só vou te dizer isso.

Bem, foi o suficiente para eu ir para o cinema.
Mas tive que esperar vários dias, pois queria ver no IMAX no Shopping Bourbon. Para quem não sabe, IMAX é a última palavra em cinema. É uma sala de cinema que tem uma tela de 14 metros de altura por uns 25 de largura e um som perfeito. A maior tela de cinema já feita com o melhor som possível.

Bem, eu fui e vi o filme e querem saber o que eu achei?
Impressionante, Fantástico, Emocionante, Maravilhoso, Surpreendente do início ao fim!!!
Muitos adjetivos, eu sei, mas AVATAR merece.

Eu me via muitas vezes desencostado da cadeira, como se quisesse entrar na tela.

Mas não tenho a menor dúvida que aqueles chatos de plantão vão dizer:
AH, tem muitos clichês, a velha história de mocinho e bandido, previsível, filminho pra criança, politicamente correto, e blá, blá, blá…

Mas quer saber? Azar o deles!
rsrsrs
:-)

AVATAR nos conduz por um mundo espetacular além da imaginação.

O ano é 2154 e os humanos estão explorando o espaço e encontram em Pandora, um astro (na verdade um satélite, uma lua, de um planeta) muito distante mas bastante similar a terra, uma fonte enorme de Unobtainium, um material raro e caríssimo e resolvem extrair tal minério.

Acontece que em Pandora vivem os Na’Vi, um povo alienígena, com 3 metros de altura, ossos de titânio, fortes e totalmente inter-conectados ao seu planeta, com língua e cultura própria.

Tendo dificuldades de negociar a extração pacificamente com os Na’Vis e como o humano não conseguem viver na atmosfera de Pandora, os humanos preparam alguns AVATARes.

Os AVATARES são seres desenvolvidos em laboratório e híbridos, geneticamente produzidos com partes de DNA humano e parte de DNA dos Na’vi (nativos de Pandora).

Nasce então o Programa AVATAR, onde “condutores” humanos têm sua consciência conectada a um AVATAR, um corpo que pode ser controlando à distância e que por ser basicamente nativo é capaz de sobreviver na atmosfera de Pandora.

Através dos olhos de um ex-fuzileiro, Jake Sully, que até então estava confinado a uma cadeira de rodas, mas que agora assume um AVATAR, é por onde entramos e conheçemos Pandora.

Apesar do paraplégico, Jake continua se sentindo um guerreiro que renascido em sua forma AVATAR, consegue voltar a andar. Ele recebe a missão de se infiltrar entre os Na’vi, que se tornaram um obstáculo à extração do precioso minério.

Ocorre que logo no início uma bela Na’vi, Neytiri, salva sua vida, o que começa a mudar a história.

Jake é acolhido pelo clã de Neytiri, e aprende a ser um deles depois de passar por vários testes e aventuras.

O relacionamento de Jake com sua instrutora Neytiri se aprofunda, e ele passa a respeitar o jeito de viver dos Na’vi, e por fim passa a ocupar seu lugar no meio deles.

Surge então um conflito de consciência em JakeSully devido a uma nova forma de ver o que os humanos estão fazendo.

É quando a ação realmente se intensifica.

Chega, já falei demais
:-)

AVATAR é um presente mas, se você o assistiu em um cinema 3D, ganhou um presente maior ainda mas, se assistiu em uma sala IMAX 3D, UAU, ganhou o maior de todos os presentes e se não viu em IMAX 3D vale a pena ver novamente, é outra experiência.

São realmente muitas emoções, do início ao fim, diria que é como um passeio numa montanha russa emocional por 2:41 horas.

Além de toda a nova tecnologia utilizada, o filme oferece uma “fotografia” (se é que podemos dizer assim) belíssima, música emocionante, envolto em uma estória rica, comovente, tocante, que ainda promove uma forte reflexão sobre quem realmente somos, como estamos vivendo hoje e o que estamos fazendo com o nosso planeta e com a nossa mãe natureza.

É um filme de ação, mas sem dúvida é também um grande misto de ficção, guerra, espionagem, romance e aventura.

É um misto de Rei Leão, Exterminador do futuro, Guerra nas Estrelas, Titanic, Alien, Amor Além da Vida, Dança com Lobos, e alguns outros filmes.

É o extremo da tecnologia com o máximo da relação do homem com a natureza e com o lado espiritual.

É surpresa e novidade o tempo todo. Tudo feito com muito carinho e com uma riqueza de detalhe impressionante. Perfeito! Uma combinação muito rara de ser vista e com certeza nunca antes vista com esta envergadura.

Além do que, é impressionante a unanimidade que tenho visto sobre este filme, até agora não encontrei uma pessoa sequer que não gostou, ou gostou pouco. Todos com quem conversei adoraram o filme e tecem os maiores elogios.

Se filmes como Guerra nas Estrelas, Star Track tem fãs até hoje e outros como Harry Potter conquistaram outros milhares, não duvido que nasça uma verdadeira legião de fãs de AVATAR, bem como inúmeras outras derivações originadas deste filme.

Como já disse, eu já vi AVATAR num cimena 3D normal e numa sala IMAX 3D e posso dizer, nesta última, a experiência é bem diferente, única, vale a pena mesmo!

Mas cuidado, assistir AVATAR em IMAX 3D pode viciar! rsrsrs
Eu mesmo já vi algumas vezes e verei outras.
:-)

Mas é um passeio, muita emoção, além de um momento de reflexão ou seja, uma excelente passatempo.

Se você ainda não viu, vá assistir e se você já viu, sabe bem de tudo do que estou falando.

Para mim sem dúvida o melhor filme que eu já vi em toda a minha vida!

Parabéns James Cameron e muito obrigado pelo presente!
:-)

Trailer Oficial do filme:

Elenco: Sam Worthington, Zoe Saldana, Sigourney Weaver, Lola Herrera, Joel David Moore, Giovanni Ribisi, Michelle Rodriguez, Stephen Lang, Wes Studi, CCH Pounder, Laz Alonso, Dileep Rao, Matt Gerald, Sean Anthony Moran, Scott Lawrence.
Direção: James Cameron
Gênero: Ação
Duração: 161 min.
Distribuidora: Fox Film
Lançado em: 18 de Dezembro de 2009
Custo Oficial: US$ 310.000.000,00

Curiosidades:

Unobtainium é uma brincadeira com palavras que significam algo “impossível de ser obtido”. É um termo humorado utilizado principalmente na indústria aeroespacial para descrever o material perfeito para um aplicativo, exceto pelo fato de que ele não existe, ou é extremamente caro para ser feito, ou é obrigado a violar as leis da física para obtê-lo. Seu símbolo é Uo.

Pandora é um satélite (uma lua) de um planeta maior, que sempre aparece ao fundo. Pandora parece ser menor do que a Terra e por isso, sua gravidade é inferior à nossa.

Eywa é mãe natureza que conecta tudo e todos. Eywa está para Pandora é como Gaia está para a Terra.

A atmosfera: A pressão atmosférica parece ser a mesma da terra mas parece ser mais densa e provavelmente composta com outra proporção de gases, o que a torna diferente o suficiente para não ser adequada aos seres humanos. Mas é inadequada apenas para a respiração e não parece conter nada tóxico, pois o contato com ela não faz mal.

Pedras que flutuam: Quanto às pedras que flutuam, nada muito difícil de explicar, pois numa atmosfera mais densa, num planeta com menor gravidade e sob um fluxo magnético, pedras porosas, tais como a nossa pedra pomes, poderiam sim até levitar, como acontece no filme. Lá elas estão presas pelas raízes e cipós das árvores que se não fossem estes, subiriam ainda mais. Mas subiriam até um limite, quando então estacionariam. Tal como acontece no filme.

Idioma: James Camaron desenvolveu um novo idioma, mas para não parecer conversa de bobo pediu para que lingüistas o desenvolvessem de modo que tivesse coerência fonética e lingüística.

Algumas palavras para não esquecermos:

Jacksully é o nome do mocinho
Neytiri é o nome da mocinha
Mo’At é a mãe de Neytiri
Eytukan é o Pai de Neytiri
Tsu’Tey é o segundo maioral da tribo

Pandora é o planeta deles
Eywa é a mãe natureza
Omaticaya é o nome do povo
Na’Vi é o nome da raça
Tsaheylu é a conexão
Ikran é a “ave”
Toruk é a maior das “aves”
Toruk Macto é quem voa na maior das “aves”

Links
O site oficial é este:
http://www.avatarmovie.com

Alguns making of já disponíveis no Youtube:
http://www.youtube.com/watch?v=xq_nRfoBSm0
http://www.youtube.com/watch?v=SblAuYEqN7o
http://www.youtube.com/watch?v=7c4kNLz_4E8
http://www.youtube.com/watch?v=P2_vB7zx_SQ

Fotos no Flickr:
http://www.flickr.com/photos/officialavatarmovie/4054882656/

Dicas:

  • Evite a versão dublada. Muito embora esteja bem dublado, passa longe da versão original. Dê preferencia a versão original com legendas.
  • Não deixe de ver AVATAR no cinema e em 3D. Provavelmente você verá depois em DVD mas não deixe de ver no cinema. É um filme para ser visto em tela cheia, com som de primeira.
  • Tente ver no IMAX do Shopping Bourbon. Dá pra comprar os ingressos pela Internet, mas se puder, compre na própria bilheteria e escolha já o seu lugar.
  • Ao escolher onde sentar, tente sentar o mais no centro possível e vá para o fundo, o mais no fundo possível. O filme é riquíssimo em detalhes e se ficar de lado ou muito próximo da tela terá de optar entre ler as legendas ou em ver os detalhes. No centro e no fundo isso fica mais fácil.
  • E se você for daqueles que se emocionam em alguns filmes, leve um lenço.
  • Últimas…

  • AVATAR é o primeiro longa-metragem de ficção de James Cameron desde o fenômeno ‘TITANIC’ (1997), e o primeiro filme em 3D do cineasta.
  • A nova produção do diretor de ‘TITANIC’ teria custado absurdos US$ 500 milhões, entre orçamento do longa as ações de marketing. O valor é, de longe, o mais alto do cinema hollywoodiano. Vale lembrar que ‘TITANIC’, último filme de Cameron, ainda tem o recorde de maior bilheteria mundial com US$ 1,83 bilhões.
  • Dois dias depois que escrevi este post, ou seja, em 11 de Jan de 2010, AVATAR já havia superado a marca de US$ 1.3 Bilhões de faturamento, já se tornando o segundo filme com maior bilheteria da história. Nesta toada superará facilmente Titanic.
  • Primeiro filme a ser exibido com tecnologia 3D legendado.
  • O longa foi filmado no hangar em que Howard Hughes construiu seu aeroplano de madeira, e se ambienta no futuro e grande parte da ação se passa no mítico planeta Pandora.
  • James Cameron decidiu começar o projeto após ver a perfeição atingida pelo personagem digital Gollum, em ‘O Senhor dos Anéis’.
  • Inicialmente, chamava-se ‘Project 880′.
  • AVATAR tem 40% de suas cenas gravadas com atores reais e 60% criadas em Computação Gráfica.
  • Tudo indica que AVATAR será uma trilogia.
  • Endereço do meu novo Blog

    Publicado fevereiro 12, 2008 por abrileri
    Categorias: Comportamento

    Endereço do meu novo Blog:

    http://blog.marcelo.com.br

    A partir de agora, por favor, utilize este novo endereço.Grato

    Ode aos “Loucos”

    Publicado fevereiro 12, 2008 por abrileri
    Categorias: Comportamento

    Esta é uma ode aos “loucos”, também chamados de desajustados, rebeldes ou criadores de caso.

    Ou àqueles que vêem as coisas de uma forma diferente,
    que não gostam muito de regras ou que muitas vezes se revoltam com o status quo.

    Você pode até elogiar, endeusar, duvidar, discordar ou difamar tais pessoas mas,
    a única coisa que você não pode fazer é ignorar,
    pois são eles que provocam as mudanças e movem o mundo.

    Eles imaginam, inventam, criam, resolvem, exploram e inspiram
    fazendo a raça humana evoluir e talvez por isso
    é que eles tenham que ser “loucos” mesmo.

    Afinal quem, senão um “louco”, poderia enxergar uma obra de arte em uma tela vazia,
    ou uma estátua numa pedra ou ainda uma música no silêncio?

    Da mesma forma, quem senão um “louco” teria coragem de criar um novo negócio
    sob tantos riscos ou investir num negócio que nunca foi feito,
    ou enxergar mercados que ainda sequer existem?

    Alguns podem vê-los como loucos, mas nós preferimos chamá-los de empreendedores.

    Pois somente as pessoas que são loucas o suficiente para pensar que podem mudar o mundo,
    tem o poder de realmente fazê-lo.

    Aos outros restará apenas a opção de admirá-los ou difamá-los.

    Curriculum Busca: conseqüência da evolução tecnológica

    Publicado fevereiro 12, 2008 por abrileri
    Categorias: Comportamento, TI


    Em fevereiro de 1946 surge o primeiro computador, o Eniac. Seu surgimento não ocorreu no ambiente empresarial, mas no meio acadêmico, mais precisamente na Universidade da Pensilvânia.
    No entanto, nos anos 60 e 70, o poder do processamento e da informática chegava às empresas, que por sua vez começam a processar dados e informações em mainframes.Esta foi a Era IBM.

    Já nas décadas de 80 e 90, vimos o poder do processamento ir além do núcleo das empresas, invadindo as estações de trabalho de cada funcionário com micro-computadores, oferecendo a eles mais desempenho na produção de textos com editores de texto e velocidade em números com planilhas eletrônicas. Ao mesmo tempo, os micro-computadores chegavam também aos lares das pessoas.

    Esta foi a Era Microsoft.

    No início dos anos 90, Tim Barners Lee cria o protocolo HTTP e a linguagem HTML. Com isso, Marc Andersen cria o Netscape. Está criada a World Wide Web, que é o lado colorido e interativo da Internet.

    Como conseqüência, explode a difusão do uso da Internet. Paralelamente assistimos a uma enorme expansão da utilização da micro-informática, com os computadores chegando aos lares das pessoas. Com tudo isso, o início do século XXI é marcado pela inclusão digital e o poder do processamento ao alcance dos cidadãos comuns.

    Esta é a Era Google.

    Uma vez que o poder de processamento estava disseminado entre as pessoas comuns, ocorre uma verdadeira revolução. Alguns cidadãos, até então apenas consumidores passivos, tornam-se ativos, produtores de conteúdo. Com isso nascem os blogs e as Wikipedias.

    Esta é a Era Web 2.0.

    No entanto, todas estas inovações trouxeram para todos nós um momento único, em que tanto as empresas quanto as pessoas estão agora interligadas, tendo ao seu alcance o poder do processamento, podendo gerar conteúdo.

    Portanto, como última etapa deste processo, agora todos os cidadãos podem gerar e divulgar via web o conteúdo que considero o mais importante para cada ser humano: seu próprio currículo.

    Além de serem gerados, agora estes currículos podem ser propagados eletronicamente para as empresas através de um sistema que, com uma interface simples, faz com que sejam encontrados da mesma forma com que o Google nos oferece páginas da web: o Curriculum Busca.

    Por toda sua história focada no currículo, por continuar desenvolvendo sistemas que administram currículos por mais de 8 anos, por seu modelo de negócio baseado na gratuidade do cadastramento do currículo e da vaga e, principalmente, pelo contínuo reconhecimento do mercado, a Curriculum.com.br estruturou-se de forma inigualável para poder oferecer agora esta ferramenta ímpar.

    De maneira simples e rápida, o Curriculum Busca encontra e organiza currículos, exibindo-os em seus resultados conforme sua relevância, como nenhuma ferramenta jamais fez.

    Assim como o Google identifica e organiza as páginas web de maneira inteligente para que rapidamente possamos encontrar o que procuramos na Internet, o Curriculum Busca faz o mesmo, porém com outro item: o currículo.

    Durante 8 anos a Curriculum.com.br reúne e organiza currículos de forma inteligente para agora oferecer às empresas toda esta grande base, acessível por meio de uma interface tão simples e fácil de ser utilizada como a do próprio Google.

    Se no Google você encontra páginas web, no Curriclum Busca você encontra currículos.

    Enquanto sabemos que toda empresa, por menor que seja, em algum momento irá contratar do outro lado, todas as pessoas também irão, em algum momento da sua vida, pensar em sua carreira e procurar um emprego.

    O Curriculum Busca veio para facilitar o encontro entre o candidato e a empresa.

    O Dicionário Merriam-Webster Online já aponta “Google” como uma palavra do vocabulário inglês, que significa “buscar/procurar na Internet”. Então não é errado dizer que:

    Enquanto pessoas buscam empresas no Google, empresas googlam pessoas no Busca.

    O verbo “to google”, já incluído no dicionário mencionado, equivale a “googlar” numa adaptação coloquial em português. Tomei então a liberdade de fazer uma brincadeira com esta nova palavra, que significa “procurar na Internet”.

    ‘Marcelo Abrileri no lancamento do Curriculum Busca’
    Marcelo Abrileri no lançamento oficial do Curriculum Busca no dia 7 de Novembro de 2007.

    Persistência sim, teimosia não

    Publicado outubro 16, 2007 por abrileri
    Categorias: Comportamento

    Afinal, qual a diferença entre persistência e teimosia?
    Pois é exatamente sobre isso que vou falar um pouco agora.
    O que o nosso velho e bom dicionário nos diz a respeito? Teimosia vem de teimoso e, segundo o Houaiss, é aquele que teima: turrão, cabeçudo, que se prolonga, insistente, prolongado.Já persistência vem de persistente, que segundo o mesmo Houaiss significa demonstrar constância, insistência, perseverar, continuar a ser (de uma certa maneira), conservar-se, perdurar.A diferença é sutil, mas concordamos que persistência é uma qualidade, enquanto teimosia é um defeito.Certa vez, uma pessoa me disse: persistente é o teimoso que deu certo.

    Em outras palavras, se você insistir em algo e, ao final, seu intento der certo, você foi persistente; no entanto, se após ter insistido, seu intento acabou dando errado, você foi teimoso.

    Bem, concordo parcialmente com isso e prefiro dar uma outra definição.

    Primeiro, note que o ato de insistir encontra-se em ambos os termos. Portanto, insistência é simplesmente tentar novamente. Mas tentar novamente como?

    Bem, se você insiste e faz as coisas do mesmo modo como fez da primeira vez, então eu diria que você está sendo teimoso. Pois não se deve esperar um resultado diferente por apenas se repetir uma ação.

    Diria ainda mais. Ao analisar os motivos que o levaram ao fracasso, caso você perceba que, mesmo com possíveis mudanças, a probabilidade de sucesso é muito pequena, e mesmo assim repita este procedimento várias vezes, diria novamente que está sendo teimoso.

    No entanto, se ao analisar e ponderar, vislumbrar uma nova maneira de fazer, onde o resultado pode ser realmente diferente, com êxito, então neste caso você está sendo persistente.

    Eu abordo estes termos neste momento porque, neste ano, a Curriculum.com.br conquistou vários prêmios:

    O TOP de Marketing da ADVB com o caso “Um anúncio de sucesso” (referente ao modelo grátis – veja os nossos números: http://www.curriculum.com.br/crescimento), o TOP de RH da ADVB, com o caso “Veezux, a nova geração para o recrutamento online”, o Top of Business da Montreal, o Top of Quality da Ordem dos Parlamentares, o Qualidade Internacional da Omni Quality e, por fim, o Top of Mind – Fornecedores de RH, da Fênix Central de Negócios, na categoria de Site para Recrutamento, sendo eleita pelos profissionais de RH do mercado como a empresa mais lembrada.

    Desta forma, este ano foi a coroação de uma persistência de mais de 8 anos de intenso trabalho, dados nossos resultados e todos estes prêmios, principalmente por este último.

    Conquistamos isso sempre procurando analisar, ponderar e descobrir novas formas de superar os obstáculos e as dificuldades que apareciam. Ouvindo nossos usuários e clientes, adaptando nosso sistema, fomos devagarzinho conquistando um melhor posicionamento neste mercado tão competitivo.

    Mesmo quando a Curriculum foi totalmente abandonada pelos investidores por ocasião do estouro da bolha da Internet em 2000, ou quando operamos nossos negócios no vermelho por vários anos, ou até mesmo quando sofremos ataques inescrupulosos dos nossos concorrentes, dentre inúmeros outros problemas que surgiram em nosso caminho, fomos com persistência, e não com teimosia, descobrindo soluções e contornando os obstáculos, criando e vislumbrando como nos posicionar melhor em todos estes momentos tão difíceis.

    Quando um serviço não emplacava, procurávamos compreender onde erramos, ouvíamos novamente os anseios dos nossos usuários e clientes, procurávamos corrigir nossos erros e, assim, buscávamos nos posicionar melhor frente a estes insucessos.

    Buscávamos não repetir as mesmas ações infrutíferas que já haviam sido feitas e encontrar aquelas que poderiam funcionar.

    Para isso, tivemos que jogar muita coisa fora, refazer o site várias vezes, arrumar nossos serviços outras inúmeras vezes, mas fomos persistentemente nos aprimorando.

    Tivemos momentos muito, muito difíceis, impossíveis de serem colocados agora em palavras, sendo que em alguns momentos, tudo parecia estar perdido, e a derrota parecia ser inevitável.

    No entanto, com persistência e não com teimosia, fomos conduzindo os negócios até que conquistamos um final feliz. Ao ponto que, no dia em que ganhamos o último destes prêmios mencionados uma frase muito conhecida do cineasta Jean Cocteau me veio várias vezes à mente:
    Não sabendo que era impossível, foi lá e fez.”

    Acho que foi assim mesmo que tudo aconteceu!

    Ter conquistado todos estes resultados e ganhado todos estes prêmios, após mais de 8 anos de luta, sem dúvida teve um sabor muito especial. Se a diferença entre o persistente e o teimoso é o final da história, acho que da mesma forma posso dizer que fomos persistentes.

    Para terminar, vejam só que interessante: o nome da empresa que nos deu este último prêmio:
    Fênix!
    Não é um nome que resume toda esta história da Curriculum?

    Não poderia ter sido melhor, não é mesmo?

    Enfim, diga não à teimosia, mas se encontrar maneiras de vislumbrar um resultado melhor e tiver forças para insistir, seja persistente, pois a vitória após a persistência é sem dúvida muito mais gostosa.

    Trofeus

    Prêmios ganhos em 2007

    A força do trabalho em equipe

    Publicado setembro 3, 2007 por abrileri
    Categorias: Comportamento

    Muitas pessoas se admiram pelo trabalho feito na Curriculum.com.br ao longo destes 8 anos.

    Ouço várias pessoas dizendo coisas tais como “não sei como você suportou”, quando se referem aos momentos difíceis que passamos, pós-estouro da bolha da Internet, juntamente com a saída do Bank of America e o total abandono dos investidores da época.  

    Sem dúvida, não foram momentos fáceis. Ao contrário, foram momentos muito difíceis. Também não foram períodos rápidos, que passaram logo, mas períodos longos, muito longos, que acabaram por testar ao máximo nossa perseverança e nossos valores. 

    No entanto, boa parte desta resposta está no fato de eu ter tido o privilégio de contar com um grande time, uma maravilhosa equipe ao meu redor. Sim, pois sozinho jamais teria feito coisa alguma, jamais teria conquistado qualquer coisa. 

    Naquele momento, eu estava rodeado de grandes pessoas de fibra e coragem, verdadeiros guerreiros que demonstraram caráter, postura, comprometimento e muito profissionalismo.

    Foi apenas pelo fato de que todos nós estávamos juntos naquele momento que conseguimos enfrentar aquela difícil situação.

    No entanto, continuei tendo o privilégio de ter ao meu lado um valioso time, não só naquela hora, mas depois também, continuei a achar pessoas de valor que vieram somando e ajudando em todo o decorrer destes anos.  

    Desde novos colaboradores, que estão há mais tempo comigo, bem como os novos e mais recentes, que também já se tornaram muito importantes, até mesmo pequenos e estratégicos investidores que surgiram em momentos cruciais e muito importantes até os maires que nos ajudaram a chegar até onde estamos agora. 

    Todos este time se uniu de tal forma que não seria errado dizer que somos como que um, tal qual uma manada tem sua força da sua união, assim somos nós, individualmente até temos nossa força, mas juntos, somos muito mais fortes.

    Portanto, não tenho dúvidas de que a maior parte do sucesso de hoje deve-se à força deste valoroso grupo, a este time e da união de todos nós em todos os momentos, principalmente nos mais difíceis. 

    Uma união saudável, de comportamentos saudáveis em busca de um ideal justo e correto.

    Felizmente, tudo está tendo um final feliz, mas sei que poderia ter sido diferente e discordo totalmente daqueles que dizem coisas como: “lógico que este seria o final, vocês têm valor, sempre trabalharam muito, trabalharam sério, portanto tinha que terminar assim”.

    Não, isso não é verdade e nem sempre o final é assim, feliz!

    Digo isso porque o risco sempre esteve presente e as chances do insucesso existiam de fato e existem muitos casos onde o final não é feliz e o risco de dar errado sempre existiu e sempre existirá, não só aqui, mas em todos os lugares, em todas as empresas. 

    Por isso, quero aproveitar este momento e deixar os meus parabéns a todos aqueles compuseram este time e que de alguma forma, arriscaram seus futuros, suas carreiras, acreditando no ideal da Curriculum.

    Parabéns não apenas por não terem abandonado, mas por terem lutado bravamente durante todo este tempo, com tanta garra, coragem, comprometimento, determinação, força, entusiasmo e profissionalismo. 

    Mais do que os frutos que começam a chegar, entendo que devemos comemorar o privilégio que todos tivemos de estarmos unidos como estivemos e de termos formado este time tão especiais e valioso.

    Para concluir, quero aproveitar um vídeo que eu vi no YouTube, e que foi minha inspiração inicial para escrever este texto (portanto, tente não deixar de assistir, vale a pena).

    Usando o vídeo já mencionado e fazendo agora uma brincadeira, vamos fazer um paralelo e comparar a Curriculum a um pequeno búfalo, bem jovenzinho de idade, recém-nascido e totalmente inofensivo. Imagine que este filhote tenha caindo nas garras de leões vorazes que querem devorá-lo. Ai, depois, imagine que este pequeno búfalo acabou também sendo alcançado pelas mandíbulas de um enorme e faminto jacaré.

    Que fim trágico o espera, não? 

    No entanto, em meio a estes dois vorazes predadores, neste trágico momento, com seu triste fim praticamente traçado e quando todos pensam que a morte do pequeno búfalo é inevitável, surge a manada dos búfalos (o time), aqueles que deram origem a este filhote.

    Nesta hora, todos estes búfalos juntos, como um destemido time, unido e corajoso, enfrentam ambos os perigos, mesmo colocando suas próprias vidas em risco, e então, todos eles juntos, salvam este pequeno búfalo, deixando claro o valor e a força que tem um time.

    Para entender melhor, convido você a assistir agora ao filme abaixo para compreender melhor a força que a união de um time pode ter.

    A importância cada vez maior das pessoas nas empresas

    Publicado julho 19, 2007 por abrileri
    Categorias: Comportamento

    Com o contínuo avanço da tecnologia e a abrangência cada vez maior da Internet, estamos presenciando uma grande globalização bem como o rompimento de fronteiras regionais e da inovação. Parece que mais nada é impossível.

    Isso cria um universo de possibilidades em todos os sentidos. 

    As conseqüencias?

    Por exemplo, há duas décadas, ouvíamos música no toca-discos, e a mídia era o velho LP (long play). Depois veio o K7 e depois o CD aposentou de vez o LP. Agora, muitos nem usam mais CD, pois podemos baixar a música pela Internet em formato digital, transportá-la em pen drives e ouvi-las em iPods, sendo que, em breve, estaremos ouvindo música a partir de nosso telefone celular (iPhone e similares). 

    Estas mudanças não afetaram apenas a maneira como ouvimos música, mas afetaram todo o mercado da música.

    Mas não foi só o LP que nos deixou. Foram também as máquinas de escrever, as câmeras fotográficas com filmes em película, o fotolito, o FAX, o palito de fósforo e inúmeras outras coisas que rapidamente estão ficando no passado. 

    Mas, para cada coisa que fica para trás, outras novas entram no seu lugar e com estas surgem novas culturas e novos mercados tão rapidamente quanto os antigos deixam de existir. 

    Nesta mesma velocidade, surgem novas empresas que em pouco tempo conquistam valor, às vezes muito valor. Por exemplo, o Google praticamente não existia há 10 anos. Uma década depois, vale hoje US$ 168 Bi. Isto é mais do que 10 Fords (US$ 15 bi) ou 8 GMs (US$ 18 bi). 

    Da mesma forma, profissões deixam de existir e outras novas surgem a cada dia. 

    Desde pequeno ouvi que, com a tecnologia, as máquinas tomariam os lugares dos humanos, que a tecnologia fomentava o desemprego. Ouvia coisas do tipo: “as máquinas vão tomar os lugares dos trabalhadores”, “antes trabalhadores colhiam, hoje, colheitadeiras fazem isso” ou ainda “homens trabalhavam na fabricação de carros, hoje, com linhas de produção automatizadas, robôs fazem este serviço”. 

    Mas quer saber a verdade? Eu nunca concordei com este raciocínio. Será que ninguém percebeu que, por outro lado, alguém tem que criar, produzir e vender tais máquinas, os robôs das linhas de montagens e as colheitadeiras automatizadas? Sim, algumas profissões deixarão de existir, é fato, mas por outro lado, outras surgirão em seu lugar. Por isso eu sempre discordei de que “a tecnologia e as máquinas tomariam os lugares dos seres humanos”. 

    E se as máquinas farão cada vez mais o trabalho mecânico, operacional e repetitivo. Caberá aos humanos, cada vez mais, o trabalho mental, criativo e estratégico. 

    Ou seja, o que está havendo, e não é de hoje, é uma mudança no perfil das necessidades de trabalho do mercado e conseqüentemente, uma mudança no perfil do trabalhador, sendo este cada vez menos mecânico e operacional e cada vez mais criativo, estratégico e intelectual. 

    Relembrando agora o início deste artigo e sabendo que o custo de aquisição de tecnologia, de máquinas e equipamentos fica a cada dia mais barato e, por conseqüência, está cada vez mais ao alcance das empresas, é fácil perceber que praticamente qualquer empresa poderá ter acesso a todas estas tecnologias disponíveis.  

    Mas se então todas as empresas terão as mesmas tecnologias, onde ficará o diferencial competitivo das empresas? 

    Nas pessoas!

    Sim, cada vez mais o talento humano será reconhecido. Cada vez mais estará na criatividade, na inspiração, na estratégia e no sábio uso do conhecimento adquirido o diferencial competitivo.

    Por isso, o profissional talentoso e bem preparado será cada vez mais valorizado. E isso continuará assim, não importando o tamanho ou a idade de uma empresa.

    Há pouco tempo, durante uma conferência, aquele que até então era o homem mais rico do planeta, Bill Gates, dono da Microsoft, disse que sua companhia tinha 20 pessoas realmente muito boas e que faziam a diferença. Segundo Gates, se esses 20 profissionais fossem embora, a Microsoft se tornaria uma empresa comum ou até mesmo insignificante no mercado. Segundo Gates, portanto, algumas poucas pessoas fazem a Microsoft.  

    Percebe? Mesmo em empresas grandes, consagradas e aparentemente seguras, os talentos individuais e do grupo são definitivos para seu crescimento, existência, sucesso e continuidade. 

    Meditante isso, é fácil deduzir que as empresas estão cada vez mais exigentes quanto ao perfil dos seus profissionais, e quanto o talento humano sará cada vez mais valorizado. 

    Quando falamos em talento, lembramos de várias qualidades, tais como: criatividade, empreendedorismo, experiência, capacidade de trabalhar em equipe, foco, organização, formação, especialização, visão sistêmica, comprometimento, honestidade, integridade, conhecimentos em informática e Internet, conhecimento de outro idioma (preferencialmente o inglês) dentre muitas outras. 

    Deduzimos também que contratar bem é e será cada vez mais importante e, preenchendo uma vaga com “quem aparecer” é algo que deveria ser abominado, pois quando não se coloca a pessoa certa no lugar certo, a empresa não se desenvolve, há grandes prejuízos e todos sofrem com isso.

    Assim sendo, os profissionais responsáveis pela contratação têm uma responsabilidade cada vez maior em suas mãos, pois está nos ombros destes construir o time que fará da sua empresa um sucesso, ou um fracasso. 

    Isso explica um pouco por que para muitas empresas continua difícil preencher uma vaga, mesmo havendo tantas pessoas desempregadas. Isso acontece porque as empresas procuram talentos, procuram pessoas valiosas.

    Do outro lado, infelizmente muitos profissionais, não se desenvolveram e consequëntemente não são reconhecidos como talentos e por isso, acabam tendo baixa empregabilidade. 

    Mediante tudo o que disse, não seria errado afirmar que o título mais adequado para este artigo poderia ser “A importância das pessoas com talento nas empresas”, pois assim como é fato que cada vez mais as pessoas serão importantes nas organizações, da mesma forma, o talento e os valores individuais serão cada vez será valorizados. 

    Em alguns dos próximos artigos, abordarei aspectos que considero muito importantes e que, a meu ver, serão sempre valorizados, mas infelizmente estão cada vez mais raros de ser encontrados nas pessoas hoje.

    Marcelo Abrileri, 19 de Julho de 2007 – 12:00

    Pessoas


    Seguir

    Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.